Sonhos que não se cumprem

xuxa

Sou da “Era do show da Xuxa”. Tinha o privilégio de estudar de tarde e assim assistir ansiosamente ao show da Xuxa. Os desenhos He Man, She-Ra, Vingadores do futuro, Ursinhos carinhosos. Xuxux xux xaxaxa… enfim todos os dias era a mesma coisa, a Xuxa chegava “chegando” e logo vinham elas. Aí compartilho com vocês meu primeiro sonho profissional: ser paquita. Elas dançavam, eram as assistentes da Xuxa. Todas loiras, acho que tiveram poucas castanhas. Com aquele macacão vermelho – ah eu gostava do vermelho. Mais chamativo… com botões dourados, shorts compridos para os padrões atuais – mas na época achava curto. E aquelas botas… meu Deus, aquilo era um luxo. Sem contar do chapeuzinho com corrente para prender delicadamente no rosto.

Meu sonho nada secreto era fazer parte daquele seleto grupo de loiras. Tinha a certeza que um dia alguém responsável da Globo me encontraria e se daria conta que eu era a “paquita perfeita”. E assim os anos foram passando e fui me dando conta que não realizaria esse sonho. E a vida ia seguindo… porque é assim que funciona.

Quando minha mãe precisava ir ao banco eu a acompanhava… e assim comecei a me interessar por participar das “visitas”. Pegava os boletos de depósito que na época vinham com carbono no meio para assim depois de feito o depósito o comprovante já saia pronto. Sem muita tecnologia. Queria assim ser secretária executiva… brincava disso e minha principal tarefa era fazer depósitos, atender ao telefone e furar folhas de oficio… hahahaha. Crianças, são tão singelas.

A vida foi tomando seu curso e me tornei adolescente, certo dia numa loja de sapatos, após experimentar vários , o dono da loja veio falar comigo e com minha mãe, nos cumprimentou e se dirigiu a mim. Falou que havia muito tempo que não via um pé tão bonito e me perguntou se eu não queria ser modelo de pés da nova coleção que eles iriam lançar em breve. Juro para vocês que vi aquela fala como uma estranheza fora do comum. Primeiro que nunca tinha tido uma proposta deste tipo – e foi a única por sinal. Segundo que pelo amor de Deus como assim? Fiquei indignada, meu pé?! Um pé não tem rosto, um pé não tem identidade, é um pé aleatório, sem um nome. Imediatamente comecei a imaginar as fotos, da canela para baixo e juro, ME OFENDI! Obviamente que na época queria ser descoberta num shopping e ser uma modelo internacional… pela minha beleza e não pelo meu pé…hahaha.

E por fim meu último desejo profissional não realizado: queria ser cantora. Ahhh, não queria ser pouca coisa… algo entre Beyonce e Ivete Sangalo. Queria palco cheio, fãs…performaces…dançarias… cada vez que vejo uma delas minha sensação é a mesma. Queria ter a voz, depois o carisma, depois o gingado… esse sonho é praticamente um delírio. Não tenho voz  alguma, sou totalmente desafianada, fora do ritmo. Não sirvo nem pra cantar no banheiro sozinha.

Não fui paquita, nem secretária, muito menos cantora…me tornei psicóloga! Minha missão, sou feliz. Entro na vida das pessoas, transformo as mesmas, ajudo, dou colo, empurro. E sim, me realizo nas realizações alheias. Me satisfaço quando alguém tem sucesso. Vibro quando alguém tem uma promoção. Porque não conseguiremos realizar na nossa vida todos os nossos desejos. Mas podemos compartilhar as realizações dos outros e termos satisfação com as mesmas.

Um beijo, até semana que vem.

me-1

Vanessa Campos – Psicóloga

Você também poderá gostar...