Em busca da felicidade

me (1)

Sou psicóloga clinica há 16 anos e tenho duas especificações na área. Durante esse período de prática dentro do meu consultório tive algumas constatações. Claro, são fragmentos de experiências que acompanhei. Espero, a partir de agora, compartilhar com vocês algumas de minhas ideias, dúvidas e inquietações.

O ser humano é um eterno insatisfeito, estamos sempre em busca de algo melhor. Temos planos, projetos, metas. Traçamos objetivos e estratégias para conseguirmos alcançar a almejada “felicidade”. Um cargo melhor, um aumento de salário. A tal sonhada cobertura com área privativa de lazer para receber nossos queridos amigos, um carro novo, entrar na calça 38. Mas o carro vai deixar de ser novo, o cargo já não será mais um desafio, construirão outras lindas coberturas…e outras necessidades virão.

Buscamos sempre! Atingimos e seguimos a diante na busca de mais um degrau para chegar à felicidade plena. Estamos errados? Não, muito pelo contrario temos que evoluir, desejar é o motivador de nossas vida (prometo que esse será o próprio assunto que iremos conversar!). Estamos enganados em um detalhe: somos mais felizes do que imaginamos, temos mais momentos de felicidade do que sabemos. Nosso problema é não ter o hábito de refletir sobre os momentos que vivemos. Não ter a real consciência de como interagimos com as pessoas, nem como absorvemos as experiências que temos. Acordamos, enchemos nossas agendas como uma diversidade de atividades e vamos “tocando” a vida no automático. Sem dar atenção aos detalhes, nisso a vida vai passando e não nos damos conta do que estamos verdadeiramente vivendo. Vou provar agora para vocês que existem mais momentos de felicidade do pensamos.

caminho

A felicidade está na singeleza das coisas, está no detalhe, no gesto. Por mais minúsculo que ele seja. Certa vez cheguei em casa, de um dia muito ruim, tudo tinha dado errado. Quando abri a porta me deparei com um largo sorriso. Me entreguei para aquele momento e recebi amor, magicamente, acreditem, meu dia se dissolveu naquele gesto. Então receba o que o mundo te dá, os “micro momentos” de felicidade.

Seguem alguns momentos:

Acordar com a pessoa que se ama e ver que ela estava ali ao teu lado;

Tomar um café preto bem quentinho:

Sentir o cheiro de roupa limpa;

Dar uma gargalhada bem dada;

Ver o pôr do sol à beira do Guaíba.

Cada um saberá o que lhe faz feliz. Temos que parar e reconhecer, ter consciência das experiências e das pessoas que nos cercam. Temos que nos apropriar verdadeiramente de nossas vidas. Sermos protagonistas das mesmas…então vamos viver os momentos como se fossem os únicos.

Um beijo até semana que vem!

Você também poderá gostar...