A beleza da Caligrafia de Jaine Pinzon

Por Lizi Ricco

Como é prazeroso conversar com pessoas que realizam seu trabalho com encantamento e paixão. É estimulante, inspirador e só comprova o verdadeiro sentido daquela conhecida frase do filósofo Confúcio “Escolha um trabalho que você ama e você nunca terá que trabalhar um dia sequer na vida”. Nesta entrevista, a caligrafa Jaine Pinzon fala do seu amor pelo que faz e mostra o resultado da sua dedicação e sensibilidade ao aplicar sua arte em diferentes projetos.

caligrafia2

Eléve: O que te motivou e há quanto tempo desenvolves este trabalho com a Caligrafia?

Jaine: Minha grande paixão nasceu nas Artes Plásticas. Minha facilidade com as formas de desenho fez com que me encontrasse na Arte da Caligrafia. Ela foi inserida nas minhas telas e posteriormente para o papel, em convites, cartas, poemas, diplomas, agradecimentos e tudo o que a sensibilidade pela beleza da escrita, permite. Tenho já alguns anos de atividade e uma cumplicidade nata com as letras.

Eléve: Acreditas que caligrafia é um dom, um talento nato ou é algo que pode ser desenvolvido tecnicamente?

Jaine: A caligrafia pode sim ser desenvolvida tecnicamente, mas acredito no dom que trazemos na alma e no estilo de cada um, fazendo com amor. A cada dia me apaixono mais por ela, ocupando inteiramente minha vida com penas e tintas. A caligrafia motiva minha alma, me faz feliz.

Eléve: Como caracterizas os tipos de traço ou fontes da tua caligrafia? Como escolhe o tipo de caligrafia para aplicar em cada projeto?

Jaine: Minha facilidade nos traços me permite fazer qualquer tipo de fonte com estilo próprio, usando somente bico de pena na leveza das fontes cursivas, cooperplatte, nos traços fortes das itálicas, na desenvoltura das modernas e nos encantos das curvas nos floreios e arabescos. Faço um estudo detalhado de cada fonte que se apresenta, respeitando o estilo e cor do convite, convites de casamento, hoje meu maior envolvimento e especialidade, também fundamentalmente ouvindo meu cliente para saber exatamente o que ele procura, quais são suas dúvidas, seus anseios e seus sonhos. Costumo dizer que trabalho com a emoção das pessoas, buscando sempre a perfeição e a harmonia, realizando a satisfação, tanto de quem me procura, como a minha.

caligrafia3

Eléve: Apesar dos perfeitos traços que a tecnologia atinge o que realmente diferencia a escrita digital da manual?

Jaine: O que diferencia a escrita digital da caligrafia, para mim, é a emoção, é a atenção demonstrada, prestigiando com beleza, requinte, originalidade e bom gosto, transformando seu convidado em único. A caligrafia dá vida e valoriza o convite. Mesmo com a precisão da escrita digital, a caligrafia nos seus traços manuais, tem seu espaço garantido e respeitado, muito valorizado nos dias de hoje.

Eléve: Além de convites de casamentos e outros eventos sociais, que outras ocasiões ou produtos dão preferência a esta arte?

Jaine: A caligrafia não tem limites, pode ser usada nas Artes Plásticas, Artes Visuais e Design, Publicidade e Propaganda. Além dos convites de casamento, também em encadernação, quadros, anúncios de propaganda, certificados, diplomas, menções honrosas e tudo o que envolva a escrita.

Além de caligrafia em convites, Jaine também faz caligrafia em porcelana e quadros. Atende Porto Alegre, interior do estado, SP, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e já realizou trabalhos no exterior como Londres, França, Argentina, Espanha, Grécia, Dubai, entre outros.

caligrafia1

Para acompanhar o trabalho ou entrar em contato com esta “artista das letras” acesse e curta sua página no Facebook: Calígrafa Jaine Pinzon e no Instagram @jainepinzon.Calígrafa.

Matéria publicada originalmente na edição 25 da Revista Eléve.

Você também poderá gostar...