Monstro da Máquina

Por Vanessa Campos

Todos temos taras, manias, atitudes secretas que poucos conhecem. Vou revelar para vocês umas das minhas: lavar roupa. Sim…acreditem tenho uma prazer imensurável de lavar roupa. Não tenho nada de obsessiva, muito pelo contrário, sou uma pessoa sem regras, sem rituais, mas para lavar roupa eu adquiri alguns padrões. Tenho minha própria organização de cores, tipo de de roupas, modos de lavar. Tenho prazer nisso. Outro dia quase tive um surto quando cheguei em casa e encontrei a prova do crime: minha funcionaria havia lavado roupas na máquina. E pasmem…foi aí o surto…não sou egoísta, ela poderia usar a máquina. Poderia lavar as roupas. Mas o surto quase psicótico foi que ela “fez uma máquina” e misturou tapetes do banheiro com os panos de prato. Meu deus! Quase morri.

vanessa-campos

(Ilustração: Freepick)

Não gosto de passar, nem de estender, vai explicar, gosto só de lavar. As roupas delicadas lavo na mão muitas vezes, já que precisam de uma atenção especial, mas ainda não falei com vocês algo que me intriga profundamente. Não sei há quanto tempo sou “dona de casa”, mas esse fenômeno vejo acontecer desde meus tempos de criança. Ouvia minha mãe reclamar. Resolvi fazer uma pesquisa informal como minhas amigas “donas de casa” sobre esse fenômeno: o desaparecimentos dos pares de meias.

Depois de conversas informais com várias pessoas constatei que todas sofrem do mesmo mal. Some um pé de meia. Não some o par de meias. Para minha surpresa quando entro no elevador da minha casa essa semana me deparo com uma solicitação de uma moradora do prédio, que está participando de uma companha do agasalho, para recolher, pasmem, os pares de meias. Se aceitassem meias sem par teria uma porção delas. Quantas vezes já saí atrasada com um pé diferente? Centenas. Não sei quantas vezes por ano compro meias novas…e quantas vezes não acho nenhuma meia para vestir.

É bizarra a quantidade de meias que tinha –  fiz uma limpa – sem par. Guardava na esperança de encontrar o par perdido, mas em vão. Já fiz de tudo. A única forma mais eficiente, mas também não é com 100% de aproveitamento é colocar as meias num saquinho fechado dentro da máquina de lavar. Isso ajuda nesse fenômeno. Só pode haver uma explicação para tal acontecimento: existe um monstro que mora dentro da máquina de lavar. Nunca fiquei olhando o ciclo todo do processo de lavar para confirmar da existência dele, mas é a única alternativa que me vem em mente. Ele deve morar ali dentro. Gosta de água, sabão em pó, amaciante, e alvejante! E se alimenta certamente de pares de meia. Pode ser que seja pequeno, já que come somente uma e já fica satisfeito.

Imagino ele pequeninho, bem fofo de tanto amaciante, branco como a neve e bem gordinho porque há anos ele vem comendo as minhas meias. Certamente tem o cabelo todo descabelado de tanto girar ali dentro. Espero um dia encontrar com ele e irei oferecer outros tipos de alimentos já que não aguento mais ter que procurar por meias perdidas….

Um beijo até semana que vem

Vanessa Campos

Você também poderá gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.