Melasma e a importância do protetor solar no cuidado com a pele

O melasma é um depósito exagerado de melanina, pigmento que dá cor escura para nossa pele. Os responsáveis por produzir a melanina são os melanócitos, que são estimulados por fatores genéticos, hormônios ou pelo sol e, se sofrerem estímulos, criam depósitos intensos de melanina, causando os melasmas, que costumamos chamar de manchas. As manchas são escuras e é comum que apareçam em locais fixos.

Mais comum em mulheres, a exposição solar e luz visível, gestação e alteração hormonal causam piora. O principal tratamento é a prevenção, usando filtro solar de 3/3 horas, dando preferência para os que têm cor.

O protetor pode ser físico ou químico. O físico reflete os raios UV e pode ser chamado de inorgânico ou mineral. Já o químico é absorvido e reage com os raios UV e com a pele, convertendo-se em calor e são chamados de orgânico ou não mineral. Procure sempre pelo protetor físico, pois ele protege também contra a luz visível (a dos celulares e computadores).

É importante deixar claro que todo protetor pode ser bom, desde que atenda às suas expectativas de qualidade, que você consiga usar na quantidade e reaplicação correta e que seja feito diariamente.

Os protetores solares foram desenvolvidos para proteger a pele de danos cutâneos da radiação ultravioleta, porém a proteção contra a luz visível é limitada e estudos recentes mostra a importância deste cuidado.

Um estudo avaliou a eficácia de fotoprotetores brancos e coloridos na proteção contra a luz visível, do valor da fotoproteção solar e das características colorimétricas para a quantificação da proteção dentro dessa faixa específica de radiação. Concluiu-se que o valor do Fator de Proteção Solar (FPS) não tem relação direta com a proteção contra a luz visível, mas, sim, o potencial de translucidez do produto.

Os filtros inorgânicos, por terem capacidade refletiva, podem ser uma opção contra a luz visível, dependendo do tamanho da sua partícula, assim, somente partículas grandes e visíveis seriam capazes de proteger contra a luz visível. Dessa forma, a incorporação de pigmentos absorvedores aos protetores solares aumenta a capacidade fotoprotetora desses produtos.

A proteção à radiação UV-A, que é constante durante o dia, e UV-B, que é mais intensa entre 10h e 16h, é o ponto principal do tratamento. De acordo com os trabalhos recentes, protetor solar de amplo espectro, UV-A e UB-B, com FPS de, pelo menos 30, contendo filtro inorgânico, como dióxido de titânio ou óxido de zinco, deve ser usado por pacientes com melasma e ser reaplicado com frequência.

Filtros orgânicos e inorgânicos podem agir sinergicamente para aumentar o valor do FPS.

Junto adicionamos: tópicos clareadores, fotoproteção oral, antioxidante oral, MMP (microinfusão de medicamentos na pele), peelings e laser.

 

Mitos e verdades sobre o melasma:

“Estou curado do meu melasma, posso finalmente pegar sol.” Mito.

“A gravidez pode piorar.” Verdade.

“Alguns métodos anticoncepcionais podem piorar a mancha.” Verdade.

“Somente as mulheres tem melasma.” Mito.

“Pele morena tem mais chance de ter.” Verdade.

“Vapor quente pode piorar o melasma.” Verdade.

“Antioxidantes/fotoprotetores orais podem ajudar.” Verdade.

“A claridade e fontes luminosas podem piorar a mancha.” Verdade.

“Hidroquinona (substância química capaz de clarear a pele) em excesso pode ser prejudicial no controle do melasma.” Verdade.

“Filtro solar somente quando for à rua ou praia.” Mito.

Gabrielle Adames – foto LisaRoos

Dra. Gabrielle Adames, natural de Santa Maria, é formada em medicina pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), se especializou em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e fez especialização em Nápoles, Itália, em dermatoscopia – exame diagnóstico do câncer de pele. Além dos cuidados com a pele, a médica é especialista em cosmiatria – área da dermatologia dedicada ao tratamento e prevenção de alterações estéticas da pele – e também em cabelo, uma área nova no Brasil, e atende pacientes com doenças no couro cabeludo e realiza procedimentos como a intradermoterapia capilar, tratamento que estimula o crescimento do cabelo.

 

Fonte: LS8 Consultoria de Imprensa

Você também poderá gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.