Eclipse – Danças de Amor

Studio de Dança Mara Noschang apresenta “Eclipse – Danças de Amor”, espetáculo em dois atos baseado em uma lenda indígena coletada por Couto de Magalhães.

Desde 2003, sob a coordenação de Mara Noschang e de sua filha, Milene Cabreira, o Studio de Dança Mara Noschang conta com o trabalho de uma excelente equipe de professores que transmitem a técnica e a arte de dançar como forma de expressão, socialização e diversão. Para confraternizar e retribuir a alegria e o prazer da dança, todos os anos realiza um espetáculo em dezembro. Em 2017, bailarinos e bailarinas, mestres e aprendizes da escola de dança compõem o show de Ballet, Jazz, Street Dance e Danças de Salão que vai contar a história de amor (quase) impossível entre Sol (Guaraci) e Lua (Jaci).

 

FICHA TÉCNICA

Produção: Studio de Dança Mara Noschang

Adaptação do Roteiro e Direção de Arte: Milena Teixeira

Direção Geral: Mara Noschang e Milene Cabreira

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS:  João Carlos Ramos e Bianca Jordá Avisati, do Rio de Janeiro, Juliana Fernandes, da Escola Passo a Passo, de Esteio (RS),  e Companhia Entrepassos, de Porto Alegre (RS)

Para adquirir a pulseira que dá direito a assistir ao espetáculo, entrar em contato pelos fones: (51) 32735753 (a partir das 16h) ou Whatsapp (51) 99595 9454

 

ECLIPSE – A LENDA INDÍGENA:

No começo, havia uma infinita escuridão. Então, Nhanderu criou o sol, Guaraci, para iluminar o universo com sua luz. Certa vez, Guaraci ficou cansado e precisou dormir.  A escuridão voltou a se impor.  E Nhanderu criou Jaci, a Lua, para iluminar o universo. Eis que um dia, em um breve instante enquanto Guaraci acordava e Jaci ia dormir, os dois se viram e se apaixonaram. Era um amor intenso, mas seu amor colocava em risco toda a vida sobre a Terra. Nhanderu determinou que jamais se encontrariam: sempre que Guaraci acordasse, sua luz o impediria de ver Jaci. Separados, a tristeza tomou conta deles. Para consolar seus corações, Nhanderu criou Rudá, o amor, para ser o mensageiro do casal. Rudá dizia à Lua o quanto o Sol a amava e, ao Sol, que o seu amor era correspondido. Até hoje, Guaraci e Jaci vivem eternamente separados, unidos apenas pelas mensagens de Rudá. Mas, de tempos em tempos, por um descuido de Nhanderu, acontece um eclipse.  E os dois dançam o seu amor intensamente antes de tornarem a se separar.

Fonte: Clara Glock

Você também poderá gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.