Duas faces da mesma moeda

Por Vanessa Campos

As pessoas são peculiares, não irei fazer um juízo de valor, dizer se é certo ou se é errado. Principalmente porque irei falar de mim. A cada ano que passa tomamos consciência de algo em nós. De um comportamento, de uma característica. Irei contar algumas que fazem parte da minha forma de me relacionar com o mundo.

Ilustração: Freepick

Sou uma pessoa decidida, proativa, resolvida, assertiva. Se tenho que comprar um presente no shopping consigo fazer essa tarefa proposta sem nem ao menos pagar o estacionamento. Entro, escolho em 1 minuto, pago – o que é sempre mais demorado, porque eu nunca vi como a maioria dos caixas são calmas- , vou para o carro e feito: saio sem pagar. Sou assim em tudo, ou quase tudo. Escolho tudo rápido. Me lembro do meu casamento- sim já fui casada por 10 anos outro dia conto isso para vocês- se é que vocês não sabem. Era algo inusitado…a florista e organizadora ficavam chocadas…elas me davam 2 ou 3 opções de qualquer coisa, flores, cor da mesa, eu perguntava o preço e escolhia sem muito drama.

Tenho um comportamento que me ajuda na maioria das vezes se tenho uma demanda, problema ou situação quero resolver logo…para me livrar…passar para a demanda seguinte e ficar sem pendências. Claro que tem vezes que me arrependo um pouco, mas também não sou o tipo de pessoa a que fica, como se diz por ai, chorando pelo leite derramado. O que tá feito, tá feito! Segue o baile!

Agora meu ponto fraco: me dá um cardápio que minha mente entra em colapso. Tenho a maior dificuldade do mundo de me achar. De entender, de encontrar o que quero comer.  Aqueles que são separados por carnes, aves, massa, peixes…eu quase piro. Me transformo na pessoa mais indecisa do mundo. Ao ponto de não saber se quero comer carne de panela com massa, peixe com alcaparraras ou frango em ervas finas. Não tenho uma linha de pensamento. Emburreço. As pessoas escolhem seus pratos e eu ali naquela dúvida cruel. Totalmente sem saber o que fazer. O garçom fica parado esperando meu pedido, as pessoas aguardando que eu escolha. Daí me dá um nervoso pior ainda.

Sempre tive essa dificuldade e com os passar dos anos ao invés de amenizar só piorou. Hoje tenho consciência dos sabores… e fico tentando saber qual é a experiência gustativa que eu gostaria de ter enquanto me delicio com o prato escolhido. É a maior tortura para mim…. Vocês não imaginam! Daí vem a comida das outras pessoas e eu sempre acho que tá melhor que a minha. Juro que não é inveja, mas sim arrependimento. Me arrependo do meu pedido…mas comi tudo bem feliz, jurando melhorar na próxima vez. Ultimamente tenho tido a seguinte atitude…se a pessoa já conhece o menu digo: “escolhe por mim algo bem gostoso que tu gosta de comer”.

O mais peculiar é que quando estou sozinha num restaurante, hábito que aprecio, não existe drama algum. Demoro o tempo que for… sou decidida e raramente me arrependo. Vai entender!

Um beijo até semana que vem

Vanessa Campos

Você também poderá gostar...

3 Responses

  1. Luciana disse:

    Amei! Especialmente a parte do menu! kkkkkkkk eu tb demoro horrores, pq queria comer várias coisas…. kkkkkkkkkkk vou te indicar uns locais em que quem decide o que tu vai comer é o chef! 🙂 Será que vai gostar? bjs

  2. Anônimo disse:

    Adorei!!!!!!! Beijos

  3. REGINA disse:

    Vc é o máximo amiga!! Ler é te ver com toda facilidade do mundo!! Bjssss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.