Conheça o perfil e a história profissional do DJ Lê Araújo

Um dos nomes mais requisitados no Brasil pelo talento e experiência em eventos de todos os estilos

 

A HISTÓRIA
Lê Araújo despertou cedo para um relacionamento profundo com a música. Aos oito anos ganhou seu primeiro 3X1 e uma coletânea de vinil com sucessos da época. Depois disso passou a pedir mais e mais ao pai, principalmente de novelas, pois era o que tinha acesso naquele momento. Em seguida passou a gravar fitas cassetes de tudo que gostava de ouvir no rádio e aos 13 anos já era o DJ do bairro, por conta da sua grande coletânea somada a do primo Everton, outro apaixonado por música. Juntos fizeram a trilha sonora na festa de 15 anos de uma amiga do bairro onde viviam reunindo dois 3X1 tocando as músicas sem gerar aquele silêncio entre uma e outra.
Desde então Lê Araujo nunca mais parou, sempre dava um jeito de se envolver com as festas que ocorriam na sua cidade. Anos depois, conheceu o lado underground de POA, apresentado por um amigo. “Me apaixonei por aquele mundo doido chamado Osvaldo Aranha, com a mistura de classes e cultura diversificada e é claro muita música diferente do que eu estava acostumado”, diz Lê.
Aos 18 anos ganhou seu primeiro cachê como profissional na já extinta casa noturna chamada Fim de Século, que se localizava na av. Plínio Brasil Milano, em Porto Alegre. “A partir disso minha vida e a relação com a música nunca mais foram as mesmas”, conta o Dj.

ESTILO E REFERÊNCIAS
Não tem estilo definido, o interesse é fazer as pessoas felizes com o que elas querem ouvir.
Suas referências sempre foram pista cheia, sua escola como DJ é muito antiga, não toca para se satisfazer, mas sim para ver as pessoas felizes com as suas escolhas musicais. “Posso dizer que minhas referências são aqueles que têm o mesmo pensamento que eu, seja um profissional que tenha muitos ou poucos anos de carreira, pois no mundo da música sempre tem algo novo a se aprender”, destaca.

ÍDOLOS
Carl Cox e David Guetta.

APRESENTAÇÕES
O trabalho já o levou a diversas localidades do Brasil e do exterior como Nova Iorque, Las Vegas, Punta del Este. No entanto não destaca nenhuma de suas apresentações como a melhor.
“Costumo dizer que a melhor é sempre a próxima. Não seria justo destacar apenas uma, já que Deus é muito generoso comigo e sempre coloca pessoas incríveis nas pistas em que me apresento.”

PROJETO SAX&PHONE
Por conta de uma parceria, que já soma mais de 10 anos, Lê Araujo e o saxofonista Vini Netto uniram seus talentos para atuar no projeto Sax&Phone, um formato de apresentação até então inédito no Sul do Brasil, que já lhes rendeu a abertura de diversos shows nacionais e internacionais como Black Eyed Peas, Rick Martin, Tears for Fears, entre outros.

NOVOS PROJETOS
Entre seus planos futuros, deseja ampliar sua participação internacional no mercado de eventos, principalmente em casamentos e já estuda oportunidades. Quer intensificar seu trabalho para promover o projeto acústico Blend of Malt, dos músicos Gustavo Fallvena e Sergio Gautche, e em paralelo manter o foco nos artistas da Moving Management ao lado de sua sócia Laura Antunes e de Helen Escobar, que os auxilia na administração das agendas dos DJs, VJs e Músicos do casting da sua empresa.

 

Fonte: Matéria publicada na revista eléve 27 por Lizi Ricco

Você também poderá gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.